segunda-feira, abril 25, 2011


Apto Pequeno em Paris

Basta um olhar para as fotos abaixo e certamente você vai ver que foi feito com bom gosto.
Projetado por arquitetos SWAN , este encantador apto não tem mais de 25 metros quadrados e é constituído por uma única sala, com inteligência dividida em um quarto e uma sala de estar.  
O painel abaixo  era inicialmente uma parede inteira, mas os arquitetos decidiram reduzi-la à sua estrutura, a um grande efeito estético. Isso também garante um maior nível de luz natural durante todo o dia. O banheiro é convenientemente "escondido" na parede dos fundos do apartamento. A paleta de cores é particularmente atraente e é responsável pelo contraste fascinante entre os pisos de madeira e do mobiliário.


montmatre apartment Freshome 012 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 022 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 062 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 052 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 042 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 032 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 072 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 082 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 101 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
montmatre apartment Freshome 091 Surprisingly Small Apartment in Paris with a Charming Red&White Interior
Fonte:  http://freshome.com/2011/03/05/surprisingly-small-apartment-in-paris-with-a-charming-redwhite-interior/
2

sexta-feira, abril 22, 2011


Acrilico

Alguns mobiliairos em acrilico:










0

sexta-feira, abril 15, 2011


Bienal Brasileira de Design 2010

Cartaz desenvolvido por Gustavo Piqueira
Cartaz desenvolvido por Gustavo Piqueira
Sustentabilidade é examinada sob a perspectiva do design
Terá início no próximo dia 14 de setembro [o evento encerrou-se dia 30 de outubro] a Bienal Brasileira de Design 2010, em Curitiba. Oficialmente esta é a terceira do gênero, mas desde 1968, no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Brasília e também na capital paranaense, já foram realizadas outras sete bienais de design no país. A história do evento constará das retrospectivas a serem apresentadas na edição atual, cujo tema - a sustentabilidade - foi conduzido pela curadora Adélia Borges.
Reunimos alguns dos cartazes integrantes do núcleo de design gráfico da Bienal Brasileira de Design 2010. Eles estarão expostos no centro da capital paranaense, na rua 15 de Novembro, de modo que o evento seja visto em grande escala, não apenas por visitantes ou profissionais da área, mas sobretudo pelo público leigo.
Cartaz desenvolvido por Luciano Drehmer
Cartaz desenvolvido por Luciano Drehmer
Cartaz desenvolvido por Paulo Bruscky
Cartaz desenvolvido por Paulo Bruscky
A curadoria de design gráfico, a cargo de Rico Lins e André Stolarski, teve tom provocativo, instigador da reflexão acerca dos significados do tema que orientou a bienal. Sustentabilidade: e Eu com Isso? é o nome da exposição sob sua tutela, composta por 30 cartazes.
Vinte deles foram produzidos por artistas, designers e profissionais de várias áreas, convidados pela dupla de curadores.
Os demais foram criados por estudantes de design, que tiveram seus trabalhos escolhidos por uma comissão julgadora - Bruno Porto, Daniel Trench, Guto Lins, Julieta Sobral, Marcos Minini e Marina Chaccur - entre os 125 participantes do processo seletivo nacional.
Na primeira etapa, os estudantes enviaram portfólio, o conceito e referências visuais do cartaz que pretendiam desenvolver.

Na segunda, os dez escolhidos afinaram suas ideias e produziram seus trabalhos em workshop realizado em Curitiba, sob o comando de Lins, Trench e Minini.
“Os resultados são surpreendentes, comunicativos”, relata Rico Lins. As abordagens variam: há desde referências à sustentabilidade sob o ponto de vista do consumo até reflexões comportamentais e filosóficas, embora prevaleça a fotografia como ferramenta de criação.
Em síntese, o visitante da mostra de cartazes vai perceber que ela revela grande sintonia com o tom questionador que permeia todo o evento.
Cartaz desenvolvido por Angela Detanico e Rafael Lain
Cartaz desenvolvido por Angela Detanico e Rafael Lain
Cartaz desenvolvido por Pedro Inoue
Cartaz desenvolvido por Pedro Inoue
Cartaz desenvolvido por Emmanuel Nassar
Cartaz desenvolvido por Emmanuel Nassar
“O termo sustentabilidade se desgastou, seu conteúdo está esvaziado. Nossa missão é reexaminá-lo sob a perspectiva do design inovador”, informa a curadora Adélia Borges, que organizou a bienal através de núcleos temáticos.
Eles serão apresentados na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), no Museu Oscar Niemeyer, no Instituto Jaime Lerner e na rua 15 de Novembro.
A mostra principal, por exemplo, será conduzida por eixos que tratam desde a pesquisa de materiais, novos processos e estéticas até aspectos como a identidade brasileira, com uma seleção de projetos e produtos que já se encontram em fabricação no país.
A exceção se restringe à mostra sobre mobilidade urbana, que trará, entre outros, projetos de veículos idealizados pelos arquitetos Jaime Lerner e Guto Índio da Costa.
“Esta bienal mira o futuro, mas fala do presente, da contribuição brasileira à sustentabilidade global”, assinala a curadora.
Além dos profissionais que têm seus trabalhos publicados nesta edição, também apresentam cartazes Arterial (Chris Calvet e Marcos Leme), BijaRi, Billy Bacon, Damião Santana, Enéas Guerra, Fábio Zimbres, Frederico Antunes, Mabuse, Hugo Werner, Nila Bandeira, Tonho e Vanessa Knorst.
Informações adicionais sobre a Bienal Brasileira de Design podem ser obtidas no site
www. bienalbrasileiradedesign.com.br.

Cartaz desenvolvido por Fabio Lopez
Cartaz desenvolvido por Fabio Lopez
Cartaz desenvolvido por Felipe Maruyama (USP Design, SP)
Cartaz desenvolvido por Felipe Maruyama (USP Design, SP)
Cartaz desenvolvido por Gabriel Manussakis (Mackenzie, SP)
Cartaz desenvolvido por Gabriel Manussakis (Mackenzie, SP)
Cartaz desenvolvido por Marcela Gil (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Marcela Gil (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Carlos Bauer (UFPR, PR)
Cartaz desenvolvido por Carlos Bauer (UFPR, PR)
Cartaz desenvolvido por Juliana Santana (Ufes, ES)
Cartaz desenvolvido por Juliana Santana (Ufes, ES)
Cartaz desenvolvido por Pedro Moraes (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Pedro Moraes (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Bernardo Schorr (Esdi, RJ)
Cartaz desenvolvido por Bernardo Schorr (Esdi, RJ)
Cartaz desenvolvido por Jana Glatt (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Jana Glatt (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Daniel Frota (PUC/RJ)
Cartaz desenvolvido por Daniel Frota (PUC/RJ)
0

quinta-feira, abril 14, 2011


LD Studio - Luminotécnica de igreja, Belo Horizonte-MG


O painel de Portinari, na face posterior, é iluminado por uma linha contínua de luminárias para lâmpadas fluorescentes T 5 de 28 watts
Luzes destacam arquitetura peculiar e painéis de Portinari
O projeto de iluminação desenvolvido pelo escritório LD Studio para a área externa e o interior da Igreja de São Francisco de Assis , no conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte, realça as formas arquitetônicas dessa que é uma das mais conhecidas obras de Oscar Niemeyer . O uso de iluminação direta e indireta destaca tanto as curvas da edificação como os painéis artísticos que Candido Portinari desenhou para ela.

Projetada por Oscar Niemeyer na década de 1940 como parte do conjunto da Pampulha , a Igreja de São Francisco de Assis foi recentemente recuperada . As obras, concluídas em julho, solucionaram, segundo seus realizadores, o problema da cobertura, que estava bastante deteriorada, e adequaram a edificação às atuais demandas - foi construído um banheiro adicional, uma copa e um depósito para materiais religiosos.

A histórica construção também recebeu nova iluminação , a partir de proposta desenvolvida pelo LD Studio , do Rio de Janeiro. Segundo a arquiteta Mônica Lobo, uma das autoras do projeto, a luminotécnica teve como principal intuito destacar o singular desenho de Niemeyer , auxiliando na percepção do monumento sem sobrepor-se a ele.

Externamente, para sublinhar as curvas da casca que forma a lateral (onde há um mosaico de Paulo Werneck) e a cobertura, foram especificados projetores de facho assimétrico, instalados na sua base . De acordo com Mônica, esse equipamento distribui naturalmente a luz na superfície curvilínea, graduando sua percepção. “Luz direta com projetores de facho circular, colocados em postes periféricos, completa essa modelagem”, ela explica. Para a obra de Candido Portinar i, na face posterior do conjunto, foi adotada a combinação uma linha de luminárias para fluorescentes T5 de 28 watts (3 mil kelvins), próxima ao painel de azulejos, e luz pontual vinda de projetores de facho circular, dispostos em postes.

Na fachada fronta l, o brise, a marquise e o campanário foram destacados com iluminação indireta , de forma a valorizar as transparências e reforçar a percepção dos elementos em negativo.

Internamente, as sancas foram recuperadas e ajustadas para receber fluorescentes T5. Há, ainda, iluminação indireta no piso do coro , além de projetores para lâmpadas refletoras que dirigem a luminosidade à porção final da cobertura da nave, em direção ao painel de Portinar i. Este, por sua vez, recebeu iluminação de projetores de facho simétrico para halógenas bipolares. “Trata-se de equipamentos que distribuem homogeneamente a intensidade da luz”, esclarece Mônica. O complemento da iluminação pontual na direção do altar é obtido por projetores para halógenas refletoras com oito graus de abertura de facho.

Ainda na parte interna, o projeto luminotécnico determinou que, entre a cobertura e a esquadria da fachada frontal, fossem fixados projetores para lâmpadas halógenas refletoras . Sua função é intensificar a visibilidade do batistério e da escada, elementos percebidos através da transparência dessa esquadria.

A recuperação da capela foi patrocinada pela Fundação Roberto Marinho, prefeitura de Belo Horizonte e Petrobrás. Contou ainda com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais e da Gerência de Patrimônio Histórico Urbano, da capital mineira.

A recuperação da capela da Pampulha, que incluiu novo
projeto luminotécnico, foi concluída em julho

Na face frontal, a iluminação indireta valoriza as
transparências e a percepção dos elementos em negativo

Para sublinhar as curvas da lateral/cobertura, projetores
de facho assimétrico distribuem a luz na superfície

Na lateral, o desenho das curvas é destacado por
projetores de facho assimétrico na sua base

Projetores de facho circular, colocados em postes, complementam a iluminação do painel

O campanário também
foi destacado com
iluminação indireta

No interior da igreja, o painel de Portinari foi iluminado
com projetores de facho assimétrico para
lâmpadas halógenas polares
0

quarta-feira, abril 13, 2011


Duplex

Bem-vindo ao apartamento decorado com um estilo confortável, acolhedor e de bom gosto escandinavos! Totalizando 92 metros quadrados, este duplex incrível tem janelas altas com nichos profundos, um pé direito de 3,15 metros,  cozinha e um banheiro, todos equipados.  
Confira as fotos abaixo e os planos para mais detalhes.

image 030 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 027 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 003 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 032 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 025 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 014 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 002 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 039 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 036 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 011 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations

image 037 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 022 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 005 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 004 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 016 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 026 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 019 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 007 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 031 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 034 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations
image 033 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations



image 020 Charming Turn of the Century Duplex with Modern Decorations

Fonte: http://freshome.com/2011/03/10/charming-turn-of-the-century-duplex-with-modern-decorations/
0
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Blogger templates