sábado, abril 28, 2012


Telhado verde


Um dos papas da arquitetura engajada, o inglês Guz Wilkinson, radicado em Cingapura, não economizou grama para criar este refúgio. Batizada de Meera House, na ilha de Sentosa, no sul do país, a casa materializou a busca de uma família hindu por privacidade e verde de sobra. Como a área do lote era reduzida (800 m²), Guz estendeu vistosos gramados sobre a cobertura dos dois pavimentos. “Assim, até nos andares superiores temos a sensação de estarmos no térreo, conectados com o jardim”, assinala o arquiteto. Além de suavizar o desenho, a solução ajudou a reduzir a temperatura interna da moradia em 5 ºC e, com amplas aberturas (na frente e nos fundos) que canalizam a brisa marinha, a promover conforto térmico sem o auxílio de refrigeração artificial. Para conservar o local naturalmente climatizado, o segredo é manter a vegetação umidificada por meio de um sistema de irrigação eletrônico com timer, acionado duas vezes ao dia. Quando a água sobre as plantas evapora, o teto transpira, se resfria e transfere frescor para todos os ambientes internos.



<p> Revestida de pedras, a piscina fica visível através dos generosos painéis de vidro que delimitam a sala de TV, no subsolo da residência. Outro recurso original do projeto para refrescar a casa.</p>
Revestida de pedras, a piscina fica visível através dos generosos painéis de vidro que delimitam a sala de TV, no subsolo da residência. Outro recurso original do projeto para refrescar a casa.
Feito na obra
Este telhado verde é do tipo mais simples possível. Como a cobertura teria grama e pouca vegetação de médio porte, o arquiteto previu a carga no projeto estrutural e distribuiu na área pontos de drenagem e irrigação. Então, as lajes foram impermeabilizadas e cobertascom mantas onduladas (para impedir que a terra escorra), brita e 30 cm de terra com compostos orgânicos. No brasil, algumas empresas fornecem sistemas prontos: Ecotelhado, Envec, instituto Cidade Jardim e remaster.

Fonte: http://casa.abril.com.br/materia/telhado-verde-guz-wilkinson
0

sexta-feira, abril 27, 2012


Bancada Cereja

Parece até que a cozinha foi feita em torno do mundo lúdico do bebê.

O ambiente ficou "cereja" na medida certa e lúdico também, embora a idéia real tenha sido criar uma atmosfera antiguinha.

 “Adoro cor e, quando soube da possibilidade de ter armários verde-água, logo imaginei combiná-los a tons de rosa”, diz a artista plástica Vivian Kass, mãe da pequena Anita, 1ano. 

O morador tratou de aproveitar a amplidão e a claridade natural do apartamento antigo. “Fiz uma abertura de 2,50 m de largura na parede e instalei duas portas de correr para ligar o ambiente à sala”, diz ele.

Piso sem emendas. Fácil de limpar, é feito de resina de poliuretano (Resinfloor) e oferece uma base clara para o ambiente. Geladeiras da Electrolux e, em frente à janela, vaso invertido da Boskke (Decameron), Cooktop branco: Brastemp; batedeira da Doural.
O projeto é do marido e arquiteto, Gustavo Picarelli.




Fonte: http://casa.abril.com.br/materia/oito-cozinhas-organizadas-bonitas-pequenas#33
0

quinta-feira, abril 26, 2012


Apartamento em Cotia (Etapa 1)

Olá pessoas,

Estou meio sumida eu sei, mas prometo voltar e logo com posts lindos e idéias inspiradoras.

Hoje eu quero mostrar um pouco do meu trabalho, fazer uma propaganda básica hehehe

brincadeira.

Abaixo está a primeira parte do projeto elaborado para um Casal em Cotia.

Vejam (clica que aumenta)
Quer seu projeto personalizado? 
entre em contato: d.interioreslimaromao@yahoo.com.br que eu envio orçamento.

 Outras opções de sala a opção escolhida foi a acima.






















4

sexta-feira, abril 20, 2012


Biscoito integral de micro-ondas

Biscoito leve, integral e de micro

Biscoito leve, integral e de micro

Ingredientes

1 ½ xícara (chá) farinha de trigo, integral
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de óleo
4 colheres (sopa) de água
fubá apenas para polvilhar

Modo de preparo

1. Numa tigela, junte a farinha integral, a manteiga, o óleo e o sal e misture, com as mãos, até obter uma farofa.

2. Acrescente a água e misture bem.

3. Numa superfície limpa, trabalhe a massa até ficar lisa e uniforme.

4. Polvilhe o fubá sobre a superfície limpa e abra a massa, bem fina, com a ajuda de um rolo. Corte em quadrados de cerca de 3 cm.

5. Polvilhe com mais fubá sobre um refratário que vá ao micro ondas e distribua os biscoitinhos, deixando um espaço entre eles.

6. Leve ao micro-ondas por 2 minutos, em potência alta. Retire e deixe esfriar. Repita a operação com a massa restante.

7. Transfira para um recipiente com tampa e conserve em local seco e arejado.

 

 

fonte: http://panelinha.ig.com.br/site_novo/meuBlog/rita--960


2

quinta-feira, abril 19, 2012


Janelas bem vestidas

Além de garantir aconchego, cortinas e persianas também têm função decorativa. E, exatamente por isso, podem arrematar ou arruinar de vez o décor, caso a escolha não seja a mais adequada. Para se aventurar sem medo na variedade de modelos, cores, texturas e estampas do mundo das cortinas, é preciso estar atento a algumas regrinhas e, claro, sempre levar em conta o bom-senso.

Para quem não gosta de arriscar, a dica é ficar com os tons neutros e tecidos naturais, como linho e seda. Para os mais ousados, o que não faltam são modelos e texturas supermodernas e diferenciadas, como mostram os projetos a seguir.
 
Visual moderno com os modelos de cores vibrantes.

A sala de jantar (apenas com os móveis essenciais e de materiais e cores neutras) ficou consideravelmente descolada com esse toque especial. Repare, o varão e os suportes não precisam ficar à vista – estão embutidos

em sanca de gesso. Da coleção Berlin (Uniflex), com 106 opções de cores. Em poliéster, tem 2,50 m de altura e estão disponíveis nos modelos romana, rolô e painel.
 
Tradicional com a praticidade de uma persiana.
Esse modelo de cortina (Luminete, da Luxaflex) permite o controle da luminosidade por meio de um sistema de movimento das lâminas que passam quase despercebidas sob o tecido que as cobrem. Indicado para áreas de passagem e com portas balcão e para ambientes que exigem bom controle da luz. A partir de R$ 1.165 o m².
Voiles controlam a luminosidade na medida exata.
A ideia é não bloquear toda a luz (parte das janelas ficam descobertas), mas sem deixar de proporcionar a privacidade necessária. A escolha de um tecido leve e de cor clara garantiu ainda mais frescor ao ambiente marcado por tons pastel e azuis.
Desenhos exclusivos e criados à mão por designer italiano.
Andrea Dall’Olio é um craque, como se vê pela foto. O talento dele é o diferencial do painel Laser Cut (Uniflex), de poliéster. Os cortes feitos a laser surpreendem pela precisão e delicadeza. A cortina ainda possui movimento
horizontal – ela se recolhe lateralmente e não deixa frestas – , o que a torna indicada para vãos amplos, como portas balcão. A partir de R$ 386,11 o m².
Acabamento e suportes discretos não sobrecarregam a decoração.
As cordas da persiana (Lightline, da Luxaflex), por exemplo, são quase imperceptíveis e têm design para evitar que enrosquem. O modelo também obstrui com eficiência a luz natural.
Cortina com persiana funciona e pode ficar muito elegante.
A persiana (coleção Metais Preciosos, da Luxaflex), feita com lâminas de alumínio no formato ondulette, bloqueia a luz solar, que incide diretamente sobre a sala. Para garantir um aspecto mais delicado à janela, cortina de
tecido mais sofisticado. O tom bege-escuro harmoniza com a decoração e ainda auxilia no controle da luminosidade. Persiana partir de R$ 152,00 o m², no modelo de 16 mm.
Proteção necessária sem esconder a paisagem do lado de fora.
O modelo translúcido (Duette, da Luxaflex) tem sistema automatizado para garantir praticidade e tambéma conforto acústico, devido a uma tecnologia empregada na fabricação do tecido da cortina. A partir de R$ 345 o m².
Estampa listrada arremata o décor e equilibra cores claras e escuras.
O modelo (Rollux, com tecido listrado Shine Blue BK, da Criativa) rolô apresenta a vantagem de ter altura regulável, ajustada automaticamente de acordo com a necessidade dos moradores, que podem bloquear completamente ou parcialmente as amplas janelas de vidro. R$ 1.158 por peça.
 
O tom sóbrio e o tecido liso em total harmonia com a decoração clean.
Num espaço no qual o branco impera, o cinza-escuro das cortinas ainda garante o controle da incidência de luz natural (note que o pé-direito é duplo e as janelas são bastante amplas, o que deixa a sala ainda mais clara). O comprimento é longo o suficiente para bloquear a luz, mas não tanto que faça a cortina arrastar no chão, o que facilita a manutenção.

Fonte: http://www.viverbemonline.com.br/destaques/destaques/janelas-bem-vestidas.html
por ROBERTA PIACENTI
0

quarta-feira, abril 18, 2012


Como fazer peixe sem deixar cheiro na casa.

Ótima Dica!!!



0

Uma ótima quarta-feira


1

terça-feira, abril 17, 2012


Taças e um novo Olhar.

Nem só de bebidas vivem as taças. Aqui, elas são usadas de maneiras diferentes e decoram mesas, transformam-se em vasos e até funcionam como potinhos para servir a pipoca de um jeito elegante. 

Inspire-se com essas ideias:

Sugestão para incrementar a decoração da sala de jantar, as taças ganharam minissuculentas e espadinhas. A montagem das plantas em miniatura ficou a cargo da Anni Verdi. Elas resistem bem ao novo hábitat se receberem água uma vez por semana.

Taças antigas e coloridas viram porta-talheres charmosos. Os garfos e facas foram enrolados em guardanapos de pano e amarrados com uma delicada fitinha

Apresente pipocas de um jeito elegante: as porções individuais em taças de vidro, apoiadas em pratinhos com azeite de pimenta, para dar um gostinho especial. O mesmo ocorreu com as amêndoas.
Colocados em taças de vidro, os lisiantos ficam uma graça. Já o cafezinho ganha uma bossa quando servido em uma tacinha – detalhe para a colher amarrada com a fita.
Fonte:Casa e Jardim
0

segunda-feira, abril 16, 2012


Design feito de Cortiça

Eu conheci os "méritos" da cortiça para Design na época do curso técnico.
Então quando vi esta matéria logo quis compartilhar com vocês...

Partindo do mais simples que é reutiliza a própria rolha:

Até as inumeras opções que o mercado disponibiliza:

Impossível não associar a cortiça ao seu uso mais comum e conhecido – a rolha. Mas aos poucos esse material vai atraindo atenção dos designers e ganhando novos usos e interpretações, graças à sua maleabilidade, textura suave e macia, impermeabilidade e, principalmente, sustentabilidade. Por que é sustentável? Porque a sobrevivência da árvore de cortiça depende do seu uso: não apenas a casca precisa ser retirada regularmente, para evitar seu envelhecimento precoce, mas também o tronco precisa ser cortado a cada dez anos (no máximo) para evitar danos irreparáveis à planta. A cortiça é também o material perfeito para quem tem problemas de alergia, pois é hipoalergênica e resistente ao mofo. Ou seja, uma série de vantagens que, aliadas ao design contemporâneo e muitas vezes combinadas com outros materiais, criam peças elegantes e super-resistentes. Selecionamos dez produtos que fazem bom uso da cortiça e confirmam o perfil multifacetado desse material. (HELOÍSA RIGHETTO)









Fonte: http://casavogue.globo.com/design/muito-alem-da-rolha-design-feito-de-cortica/
1

domingo, abril 15, 2012


Convite Congresso Jovens Igreja Unida de Utinga

0

sábado, abril 14, 2012


Cinema Aquatico

Sou meio medrosa para estas coisas, mas a curiosidade iria falar mais alto!!!

Assistir um filme no meio do mar, com todo este ambiente para lá de romântico eu iria sim...

E vocês?



O filme é só um detalhe diante da brisa e do vaivém das ondas que balançam esta inusitada “sala de cinema” na Tailândia. Batizada de Cinema Arquipélago, a instalação flutua sobre as águas turquesas e calmas do lago Nai Pi Lae, na ilha Kudu. A estrutura foi montada no mês passado, por ocasião do festival Film on the Rocks Yao Noi, que tem curadoria da atriz inglesa Tilda Swinton.
Para chegar até a sala, o público precisa pegar um barquinho até ser acomodado em grandes pufes que estão distribuídos em cinco nichos – o sexto, mais ao fundo, tem poltronas (área VIP?). Os módulos da plataforma ficam lado a lado e em desnível para facilitar a visão da tela e evitar que alguém reclame durante o filme. O áudio também não é prejudicado, mesmo a céu, ou melhor, a mar aberto, já que dois paredões de rochas criam uma espécie de câmara acústica natural e não deixam o som se dissipar facilmente.




A construção foi encarada como uma imensa jangada por pescadores locais de lagosta, chamados para erguê-la. Sob orientação do escritório de arquitetura Büro Ole Scheeren, o grupo usou as mesmas técnicas empregadas na montagem de embarcações para fazer os módulos, que, unidos, formaram o auditório flutuante. Construídos com material reciclado, os desmontes deram flexibilidade ao projeto – ao fim do festival, a sala seria doada à comunidade para ser usada tanto como playground quanto para a pesca de crustáceos. Design para quem gosta de mergulhar de cabeça na sétima arte.









 Fonte: http://casavogue.globo.com/lazer-cultura/sala-de-cinema-flutua-sob-lago-na-tailandia/

1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Blogger templates